Quem sou eu?
A minha fotografia
Requiem

Pessimista e negativo por natureza, cheio de energia e sempre stressado ou a correr de um lado para o outro. Tenho tendencia a tentar fazer tudo o que me interessa, o que me leva a deixar muitas coisas a meio. Apaixonado pelo Japao e tudo o que com ele esta relacionado.

Ver o meu perfil completo
Etiquetas
Avulso (232)
Blogs (53)
Google (12)
Leituras (28)
MP3 (38)
Parvoeiras (307)
Pensamentos (122)
Refilanços (139)
Solitariedades passadas
Free Twitter buttons from languageisavirus.com


Stalkers

A ler
A ler
Na lista de espera
A Arte da Guerra - Sun Tzu

A Conspiração - Dan Brown

A Fórmula de Deus - José Rodrigues dos Santos

A Rapariga que Inventou um Sonho - Haruki Murakami

A Senhora das Especiarias - Chitra Beneju Divakaruni

A Vida de Pi - Yann Martel

Eclipse - Stephenie Meyer

Fernão Mendes Pinto no Japão - Wenceslau de Moraes

Geisha - Liza Dalby

Kimono - Liza Dalby

O Culto do Chá - Wenceslau de Moraes

O Código D'Avintes - Vários Autores

O Direito a Ser Canhoto - Manuel Coelho dos Santos

O Disco de Jade/Os Cavalos Celestes - José Frèches

O Nome da Rosa - Umberto Eco

O Principezinho - Antoine de Saint-Exupéry

O Zen na Arte de Conduzir a Espada - Reinhard Kammer

Olhos Azuis - Jermos Charyn

Sandworms of Dune - Brian Herbert, Kevin J. Anderson

Selected Tales - Edgar Allan Poe

Spirits of the Dead: Tales and Poems - Edgar Allan Poe

The Children of Húrin - J. R. R. Tolkien

The Last Kingdom - Bernard Cornwell

Um Estranho num Terra Estranha - Robert A. Heinlein

Young Samurai: The Way of the Warrior - Chirs Bradford

Zen e a Arte do Tiro com Arco - Eugen Herriger

23 de junho de 2008
Leituras - VIII

O Império do Medo é uma história de vampiros totalmente diferente de todas as histórias vampirescas que li até hoje (e asseguro que foram bastantes).

Partindo de premissas não habituais conta-nos uma versão da história mundial muito alternativa.

Neste livro os vampiros não têem problemas com o sol nem se escondem dos humanos, antes pelo contrário, toda a aristocracia é constituida por vampiros.

Mas, e se o sobrenatural pudesse ser explicado não pela magia mas pela ciencia? Que aconteceria quando os homens comuns, levados a isso pela evolução natural, conseguissem ter métodos cientificos não só para explicar mas tambem para reproduzir o vampirismo?

Que dominio passariam os vampiros a ter? Ou neste caso deixar de ter?

A resposta, segundo a opinião do autor, está neste livro...

E mesmo para quem não gosta de vampiros, substituam vampirismo por outra caracteristica "sobrenatural" que tenha permitido a uma classe subjugar outra e leiam na mesma.
Uma solitariedade de Requiem
Etiquetas:
7 solitariedades alheias:

NI disse...

Requiem mas essa realidade já vivemos nós hoje em dia. E não, não se trata de vampiros, na verdadeira acepção do termo, nem de qualquer outra manifestação sobrenatural.

São humanos como nós.

23 de junho de 2008 às 10:28
Sadeek disse...

A tradição já é o que era...

23 de junho de 2008 às 11:23
Tinta Permanente disse...

Passariam os vampiros a ser mais que o domínio...ou seja, o comum.
Acertei ?

Bj

23 de junho de 2008 às 12:17
vita disse...

Cruzes credo!
Vou-me pirar..;))

23 de junho de 2008 às 15:26
Anónimo disse...

Parece ser uma leitura interessante...hum..vampiros e tal...gosto:)


Beijinhos da "Moi" que já não tem blog...mas que voltará várias vezes para te visitar;)

23 de junho de 2008 às 18:17
sessaoexperimental disse...

já tinha reparado nessa tua sugestão...e parece-me bastante interessante....será uma próxima compra.

Abração

23 de junho de 2008 às 19:20
Requiem disse...

NI: Sim, mas não deixa de ser um livro com piada, antes pelo contrário.

Sadeek: Estragam tudo pá :P

Tinta: Mais ou menos

Vita: Não vás, não mete assim tanto medo ;)

Moi: Lê e depois diz-me o que achaste.

Sessao: Fixe, digo-te o mesmo que disse à Moi

23 de junho de 2008 às 23:01
Enviar um comentário

Mensagem mais recente
Mensagem antiga
Página inicial
Subscrever: Enviar comentários (Atom)