Quem sou eu?
A minha fotografia
Requiem

Pessimista e negativo por natureza, cheio de energia e sempre stressado ou a correr de um lado para o outro. Tenho tendencia a tentar fazer tudo o que me interessa, o que me leva a deixar muitas coisas a meio. Apaixonado pelo Japao e tudo o que com ele esta relacionado.

Ver o meu perfil completo
Etiquetas
Avulso (232)
Blogs (53)
Google (12)
Leituras (28)
MP3 (38)
Parvoeiras (307)
Pensamentos (122)
Refilanços (139)
Free Twitter buttons from languageisavirus.com


Stalkers

A ler
A ler
Na lista de espera
A Arte da Guerra - Sun Tzu

A Conspiração - Dan Brown

A Fórmula de Deus - José Rodrigues dos Santos

A Rapariga que Inventou um Sonho - Haruki Murakami

A Senhora das Especiarias - Chitra Beneju Divakaruni

A Vida de Pi - Yann Martel

Eclipse - Stephenie Meyer

Fernão Mendes Pinto no Japão - Wenceslau de Moraes

Geisha - Liza Dalby

Kimono - Liza Dalby

O Culto do Chá - Wenceslau de Moraes

O Código D'Avintes - Vários Autores

O Direito a Ser Canhoto - Manuel Coelho dos Santos

O Disco de Jade/Os Cavalos Celestes - José Frèches

O Nome da Rosa - Umberto Eco

O Principezinho - Antoine de Saint-Exupéry

O Zen na Arte de Conduzir a Espada - Reinhard Kammer

Olhos Azuis - Jermos Charyn

Sandworms of Dune - Brian Herbert, Kevin J. Anderson

Selected Tales - Edgar Allan Poe

Spirits of the Dead: Tales and Poems - Edgar Allan Poe

The Children of Húrin - J. R. R. Tolkien

The Last Kingdom - Bernard Cornwell

Um Estranho num Terra Estranha - Robert A. Heinlein

Young Samurai: The Way of the Warrior - Chirs Bradford

Zen e a Arte do Tiro com Arco - Eugen Herriger

25 de julho de 2008
Leituras - X

Último Anel de Kiril Yeskov

Quem me conhece sabe que sou um fan incondicional de Tolkien, tenho os livros todos (alguns em mais do que uma versão), os filmes em versão de coleccionador e mais umas coisinhas.

Ao ver este livro e principalmente tendo em conta a frase do Alan Lee (um dos maiores ilustradores de Tolkien) não pude deixar de o comprar. Afinal ler sobre a Guerra do Anel vista do ponto de vista dos Orcs era uma oportunidade que não podia deixar passar ao lado.

Não sei se foi pelas expectativas serem altas ou não, mas foi uma desilusão. Não gostei do modo como o autor escreve (ou talvez seja a tradução, não sei). É demasiado confusa, demasiado enredada, usa termos estranhos quando palavras bem mais simples se adequariam sem causar dano ao texto e acima de tudo não fala da Guerra do Anel.

Basicamente o livro parte da premissa "e se os Elfs na realidade fossem os maus da fita e tivessem manipulado os humanos?" Até aqui tudo bem, mas depois o autor lança-se num relato da "resistência" dos Orcs após a guerra e sua tentativa de destronar os Elfs do poder.

Com componentes demasiado rebuscados e situação demasiado rocambolescas é um livro que definitivamente não recomendo e pessoalmente acho que não está minimamente à altura da obra de Tolkien, ou possivelmente serei eu que sou demasiado purista.

Uma solitariedade de Requiem
Etiquetas:
4 solitariedades alheias:

Tinta Permanente disse...

Também há livros menos bons... às vezes faz bem abandoná-los. lol (O direito de não ler)
Bj :)

25 de julho de 2008 às 11:10
L.M disse...

Bem, não é propriamente o meu estilo de livro mas sei bem como é a desilusão de esperar uma coisa e acabar em outra! :p
Por norma faço como tu, vou lendo, lendo à espera que aquilo melhore e normalmente acontece que não melhorou em nada! hahaha
Melhores livros virão! :p
Beijocas

25 de julho de 2008 às 11:41
Joaninha disse...

Não, não és tu que és purista.

Eu pessoalmente nem me atrevo a ler nada desse tipo depois de ter lido a obra toda do tolkien.

BJS

25 de julho de 2008 às 15:54
sessaoexperimental disse...

Requiem...o papa livros ;)

25 de julho de 2008 às 18:49
Enviar um comentário

Mensagem mais recente
Mensagem antiga
Página inicial
Subscrever: Enviar comentários (Atom)