Quem sou eu?
A minha fotografia
Requiem

Pessimista e negativo por natureza, cheio de energia e sempre stressado ou a correr de um lado para o outro. Tenho tendencia a tentar fazer tudo o que me interessa, o que me leva a deixar muitas coisas a meio. Apaixonado pelo Japao e tudo o que com ele esta relacionado.

Ver o meu perfil completo
Etiquetas
Avulso (232)
Blogs (53)
Google (12)
Leituras (28)
MP3 (38)
Parvoeiras (307)
Pensamentos (122)
Refilanços (139)
Solitariedades passadas
Free Twitter buttons from languageisavirus.com


Stalkers

A ler
A ler
Na lista de espera
A Arte da Guerra - Sun Tzu

A Conspiração - Dan Brown

A Fórmula de Deus - José Rodrigues dos Santos

A Rapariga que Inventou um Sonho - Haruki Murakami

A Senhora das Especiarias - Chitra Beneju Divakaruni

A Vida de Pi - Yann Martel

Eclipse - Stephenie Meyer

Fernão Mendes Pinto no Japão - Wenceslau de Moraes

Geisha - Liza Dalby

Kimono - Liza Dalby

O Culto do Chá - Wenceslau de Moraes

O Código D'Avintes - Vários Autores

O Direito a Ser Canhoto - Manuel Coelho dos Santos

O Disco de Jade/Os Cavalos Celestes - José Frèches

O Nome da Rosa - Umberto Eco

O Principezinho - Antoine de Saint-Exupéry

O Zen na Arte de Conduzir a Espada - Reinhard Kammer

Olhos Azuis - Jermos Charyn

Sandworms of Dune - Brian Herbert, Kevin J. Anderson

Selected Tales - Edgar Allan Poe

Spirits of the Dead: Tales and Poems - Edgar Allan Poe

The Children of Húrin - J. R. R. Tolkien

The Last Kingdom - Bernard Cornwell

Um Estranho num Terra Estranha - Robert A. Heinlein

Young Samurai: The Way of the Warrior - Chirs Bradford

Zen e a Arte do Tiro com Arco - Eugen Herriger

28 de outubro de 2008
O mundo da 7ª arte ficou mais pobre
Li agora no Público.

Morreu o grande realizador Gerard Damiano, autor de obras proeminentes (com ênfase no proeminente) como o célebre Garganta Funda com a excelente Linda Lovelace.

Citação:

Rodado em apenas seis dias, em 1972, e protagonizado por Linda Lovelace, com um custo de 24 mil dólares americanos, o filme tornou-se um fenómeno mundial por ter sido a primeira longa-metragem pornográfica a ser exibida em cinemas tradicionais, tendo inclusivamente uma crítica no New York Times. A famosa película com aproximadamente 61 minutos foi vista por mais de dez milhões de pessoas e arrecadou mais de 600 milhões de dólares pelo mundo.


E assim parte uma das pessoas que me fez descobrir que afinal não ficávamos cegos nem cresciam pêlos nas mãos...

A ouvir: Nightwish - Dead Boy's Poem (vá digam lá que eu tenho pancada pela mulher)

Visita também o meu outro estaminé.
Uma solitariedade de Requiem
Etiquetas:
8 solitariedades alheias:

Sadeek disse...

Ó amigo...isso da "longa-metragem"...tem a haver com...?!?! Nunca percebi...AHAHAHA

E sim...temos pena...paz à sua alma...AHAHAH

28 de outubro de 2008 às 15:12
Requiem disse...

Não confundir longa-metragem com muita-rodagem!!! :) :) :)

28 de outubro de 2008 às 15:27
Sadeek disse...

Certo...devo ser meio disléxico pá...AHAHAHAH

28 de outubro de 2008 às 16:47
mik@ disse...

ficar cegos e pelos nas mãos? credo mas de ke geração es tu. nunca me disseram isso loool

28 de outubro de 2008 às 18:42
Requiem disse...

Ainda bem que nunca te disseram isso :) :) :)

28 de outubro de 2008 às 18:43
sessaoexperimental disse...

um dia de luto......e para o recordar...vou ja por um "filmezito" ali no DVD...ehehhehe

28 de outubro de 2008 às 19:09
Cor do Sol disse...

Um post comovente, sem dúvida.lol.

28 de outubro de 2008 às 23:08
Requiem disse...

Sessão: Eu fiz o mesmo...só para recordar, claro...

Cor: Até fiquei com uma lágrima no canto do olho...

29 de outubro de 2008 às 11:31
Enviar um comentário

Mensagem mais recente
Mensagem antiga
Página inicial
Subscrever: Enviar comentários (Atom)