Quem sou eu?
A minha fotografia
Requiem

Pessimista e negativo por natureza, cheio de energia e sempre stressado ou a correr de um lado para o outro. Tenho tendencia a tentar fazer tudo o que me interessa, o que me leva a deixar muitas coisas a meio. Apaixonado pelo Japao e tudo o que com ele esta relacionado.

Ver o meu perfil completo
Etiquetas
Avulso (232)
Blogs (53)
Google (12)
Leituras (28)
MP3 (38)
Parvoeiras (307)
Pensamentos (122)
Refilanços (139)
Solitariedades passadas
Free Twitter buttons from languageisavirus.com


Stalkers

A ler
A ler
Na lista de espera
A Arte da Guerra - Sun Tzu

A Conspiração - Dan Brown

A Fórmula de Deus - José Rodrigues dos Santos

A Rapariga que Inventou um Sonho - Haruki Murakami

A Senhora das Especiarias - Chitra Beneju Divakaruni

A Vida de Pi - Yann Martel

Eclipse - Stephenie Meyer

Fernão Mendes Pinto no Japão - Wenceslau de Moraes

Geisha - Liza Dalby

Kimono - Liza Dalby

O Culto do Chá - Wenceslau de Moraes

O Código D'Avintes - Vários Autores

O Direito a Ser Canhoto - Manuel Coelho dos Santos

O Disco de Jade/Os Cavalos Celestes - José Frèches

O Nome da Rosa - Umberto Eco

O Principezinho - Antoine de Saint-Exupéry

O Zen na Arte de Conduzir a Espada - Reinhard Kammer

Olhos Azuis - Jermos Charyn

Sandworms of Dune - Brian Herbert, Kevin J. Anderson

Selected Tales - Edgar Allan Poe

Spirits of the Dead: Tales and Poems - Edgar Allan Poe

The Children of Húrin - J. R. R. Tolkien

The Last Kingdom - Bernard Cornwell

Um Estranho num Terra Estranha - Robert A. Heinlein

Young Samurai: The Way of the Warrior - Chirs Bradford

Zen e a Arte do Tiro com Arco - Eugen Herriger

6 de novembro de 2008
MP3 - XVIII
Já a pensar em Março...



Living as an angel in the
Place that I was born
Living on air
Living in heaven
Giving the lie down, the line
To the
There's my heaven

And I know
Which way the wind blows
In nineteen fifty-nine

Which way the wind blows
In nineteen fifty-nine

And the wind blows still
And the wind blows wild again
For a little child can never kill this clean
This way
And it feels like me today
Tell me
Do you feel the same?
Isabelle?
Or do you feel like nineteen fifty-nine?
...Do you feel like nineteen fifty-nine?

And the wind blows wild again
And the wind blows wild

In nineteen fifty-nine
In fifty-nine
Isabelle
Do you, do you fell the same?

Come with me
Like a little child
Like another gun
Like homeless, restless, known to none, like
Way beyond the line
Like it never was
In nineteen fifty-nine

A ouvir: Sisters of Mercy - 1959

Visita também o meu outro estaminé.
Uma solitariedade de Requiem
Etiquetas:
13 solitariedades alheias:

mik@ disse...

mas um bocado e tou aqui a chorar baba e ranho... shame on you :)
bjos

6 de novembro de 2008 às 12:20
Requiem disse...

Isso do ranho não será uma gripalhada? :) :) :)

6 de novembro de 2008 às 12:21
mik@ disse...

pode ser... mas acho que nao :)
é melancolia mesmo

6 de novembro de 2008 às 14:43
sessaoexperimental disse...

estamos lá meu amigo!!!

6 de novembro de 2008 às 23:17
Requiem disse...

Sessão: Estamos mesmo!!!

7 de novembro de 2008 às 10:23
Anónimo disse...

seria mesmo a pensar em março? :-)
B.

2 de dezembro de 2008 às 18:14
Requiem disse...

Naaaaaaaa, foi só para disfarçar... :P :P :P

2 de dezembro de 2008 às 19:41
Anónimo disse...

pois, bem me pareceu... Se calhar foi mais a pensar no dia seguinte...
B.

3 de dezembro de 2008 às 00:29
Requiem disse...

Tambem não exageremos... :) :) :)

Mas olhando em retrospectiva...realmente tens alguma razão... :P

3 de dezembro de 2008 às 10:17
Anónimo disse...

Alguma assim tipo... toda? ;-) bjs

3 de dezembro de 2008 às 10:46
Requiem disse...

Pois...é mais ou menos por aí... :)

3 de dezembro de 2008 às 10:49
Anónimo disse...

Mais ou menos? Naaaaa... Completamente! ;-)
B.

3 de dezembro de 2008 às 10:54
Requiem disse...

Completamente...

3 de dezembro de 2008 às 10:55
Enviar um comentário

Mensagem mais recente
Mensagem antiga
Página inicial
Subscrever: Enviar comentários (Atom)