Quem sou eu?
A minha fotografia
Requiem

Pessimista e negativo por natureza, cheio de energia e sempre stressado ou a correr de um lado para o outro. Tenho tendencia a tentar fazer tudo o que me interessa, o que me leva a deixar muitas coisas a meio. Apaixonado pelo Japao e tudo o que com ele esta relacionado.

Ver o meu perfil completo
Etiquetas
Avulso (232)
Blogs (53)
Google (12)
Leituras (28)
MP3 (38)
Parvoeiras (307)
Pensamentos (122)
Refilanços (139)
Free Twitter buttons from languageisavirus.com


Stalkers

A ler
A ler
Na lista de espera
A Arte da Guerra - Sun Tzu

A Conspiração - Dan Brown

A Fórmula de Deus - José Rodrigues dos Santos

A Rapariga que Inventou um Sonho - Haruki Murakami

A Senhora das Especiarias - Chitra Beneju Divakaruni

A Vida de Pi - Yann Martel

Eclipse - Stephenie Meyer

Fernão Mendes Pinto no Japão - Wenceslau de Moraes

Geisha - Liza Dalby

Kimono - Liza Dalby

O Culto do Chá - Wenceslau de Moraes

O Código D'Avintes - Vários Autores

O Direito a Ser Canhoto - Manuel Coelho dos Santos

O Disco de Jade/Os Cavalos Celestes - José Frèches

O Nome da Rosa - Umberto Eco

O Principezinho - Antoine de Saint-Exupéry

O Zen na Arte de Conduzir a Espada - Reinhard Kammer

Olhos Azuis - Jermos Charyn

Sandworms of Dune - Brian Herbert, Kevin J. Anderson

Selected Tales - Edgar Allan Poe

Spirits of the Dead: Tales and Poems - Edgar Allan Poe

The Children of Húrin - J. R. R. Tolkien

The Last Kingdom - Bernard Cornwell

Um Estranho num Terra Estranha - Robert A. Heinlein

Young Samurai: The Way of the Warrior - Chirs Bradford

Zen e a Arte do Tiro com Arco - Eugen Herriger

20 de fevereiro de 2009
Estás-te a esticar um bocadinho...
Ela: Mas essa data não me serve de nada, não pode meter a data real?
Eu: Não, porque o fornecedor não me envia essa data.
Ela: Pois, mas assim não me serve de nada.
Eu: Mas nunca me tinha falado nisso.
Ela: Pois, mas essa data não me serve de nada.
Eu: Pois, mas nunca mencionou isso, pois não? (já a duvidar do meu próprio levantamento de requisitos)
Ela: Pois, não devo ter falado.
Eu: (cheio de boa vontade) O máximo que posso fazer é utilizar a data do ficheiro visto que eles garantem que o ficheiro tem sempre todos os movimentos do dia anterior.
Ela: Pode fazer isso?
Eu: Posso, mas são alterações aos requisitos.
Ela: (com ar autoritário) Então faça!!!!!

E a frase que o profissionalismo me impediu de dizer:

Eu: Então pague-me o trabalho extra que vamos ter.

Visita também o meu outro estaminé.
Uma solitariedade de Requiem
Etiquetas: ,
2 solitariedades alheias:

Aprendiz disse...

Engraçado! Encontrei-te por mero acaso, um especialista em Business Inteligence! :)
O teu post é paradigmático; haverá algum cliente em tempo de crise que pague as alterações à encomenda incial? Haverá algum fornecedor que possa perder um cliente?
Se me dissessem, "então faça", eu fazia... um email com as especificações pedidas, o orçamento e que iria dar início imediato às alterações de acordo com o combinado! hahahaahaha

Abraços

P.S. Gostei do teu blogue, vou adicioná-lo ao meu, mas juro que não escrevo japonês!

24 de fevereiro de 2009 às 16:15
Requiem disse...

Eu também não disse que não fazia, pois não? ;)

25 de fevereiro de 2009 às 10:39
Enviar um comentário

Mensagem mais recente
Mensagem antiga
Página inicial
Subscrever: Enviar comentários (Atom)